Cidade

mark alan stamaty
mark alan stamaty

Andava com o vidro do carro fechado. Não pode, não quer, não faz. É o medo que domina a cidade, é o medo que reprime, é o medo. É a pobreza cobrando o seu preço. Esqueceu.
Seguiu por todo o caminho com o vidro aberto… Ignorou o fato de ser tarde, a possibilidade de um assalto, a gripe recém curada. Vento na cara para limpar a alma. Não era Bangkok, era Curitiba.

Abraços,

Sofia Aimée

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s