Mês: janeiro 2013

Venha forte a madrugada

Venha forte a madrugada

silenciar, entre livros e um bule de chá

o olhar esquivo da saudade

venderam nossa rua os sonhos, tolos, ficaram

encharcados do ruído das máquinas de construção

mas nos feriados de abril que eles voltem renovados

nos coroem de flores nos perfumem os cabelos e a face

nos façam rir às gargalhadas

e aguardar o encontro entre o céu e as águas na ilha de Patmos

 

original: Venha forte a madrugada.