Deixe-me só que eu preciso limpar o pó. Respeite minha solidão, já que em minha vida nada é em vão. Hoje eu te peço para que desapareça, mas ordeno que não me esqueça. São com rimas baratas que escrevo sem esperar nada. Quis te amar, mas preferi não me apaixonar e ninguém iludir. São com frases soltas e desconexas que te revelo o meu querer.

Abraços,

Sofia Aimée

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s