Mês: junho 2010

ligação….

Ligue. Vamos, pode pegar o telefone e me ligar. Caso prefira, podemos marcar um encontro, como achar mais agradável. Seja como for, diga a mim tudo aquilo que deseja, tudo aquilo que está ai, guardado por algum motivo, esperando apenas alguma oportunidade para vir à tona.

Você está nervosa, irritada, e eu, como sempre, entendo (prefiro não discutir e isso você já sabe). Irrite-se comigo, afinal eu já possuo doutorado na arte de irritar. Fale tudo que deseja, tudo que você detesta em mim, em minhas ações, em tudo. Grite bem alto todos os meus defeitos. Diga a todos o quanto eu sou um obstáculo em sua vida, impedindo tantas coisas, entre muitas o seu crescimento e sua paz. Acrescente a mim quantos adjetivos quiser, os piores de preferência,  se esgotar o seu vocabulário de xingamentos permito que recorra ao dicionário e assim, encontre mais centenas de adjetivos relacionados ao meu sujeito (o google também é um recurso).

 Forme várias frases, sujeito e predicado. O sujeito, não precisa mudar, afinal é único nesse caso. Entretanto, elabore diversos predicados, nominais, não se esqueça desse detalhe. Após isso, elabore uma pequena lista, sei que será difícil ela ser pequena, mas tente, com tudo que te incomoda. Ah! Tudo que tenha como agente o sujeito, nesse caso, Sofia (pode até ser oculto, afinal, pelo predicativo do sujeito irei identificar). Seja rude, grossa, estúpida, desrespeite-me, ignore, faça tudo àquilo que te fiz/faço e você odeia. Utilize agora a lei de Talião, e dê o troco, essa é a hora. “Faça o que quiser fazer,  é só você querer”

Obs: Só não esqueça de uma coisa: os meus braços que sempre estiveram abertos para você, mesmo quando você achou que não, mesmo quando você achou que eu não estava lá. Aliás, esqueça, afinal: “Quando você precisou eu não estava!” …

Abraços,

Sofia Aimée

Anúncios